Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linha de Urologia e Sexologia

Linha de Urologia e Sexologia

11
Ago08

Falta de desejo e interesse sexual terminou com o meu namoro de quase 4 anos...

Linha de Urol.

De Bruno, a 21 de Julho de 2008 às 15:12 

 

Boa Tarde,

 
Terminei há 2 semanas um namoro de quase 4 anos com a pessoa que amo, sobretudo devido à minha incapacidade de lhe dar o que ela pretendia:
sexo e fazê-la sentir-se desejada.

Tenho 33 anos e ela tem menos 7. Como enquadramento, a minha mãe faleceu quando eu tinha 19 anos, e o meu pai 5 anos depois. Talvez devido a estar muito próximo da minha mãe, só depois dela falecer senti carências afectivas e necessidade de namorar. Aos 21 tive a minha primeira namorada, relação que durou cerca de cerca de 7 anos, mas onde por convicções religiosas sempre me abstive de ter relações sexuais, pois queria guardar-me para depois do casamento. Esse factor também ajudou a terminar essa relação.

Mais tarde ganhei outro tipo de consciência, e mudei este pensamento, estando disposto a iniciar a minha vida sexual. Anos mais tarde (aos 29) conheci a pessoa com quem estive até há pouco, que foi a primeira com quem tive relações sexuais. No início da nossa relação tudo corria bem, tínhamos relações sexuais com bastante frequência, o sexo era muito bom, mas isto durou apenas nos primeiros 5/6 meses. A partir daí, à medida que íamos ganhando mais intimidade um com o outro, o desejo foi desaparecendo, cada vez menos tínhamos relações, até que recentemente chegámos a estar 3 ou 4 meses sem as fazer (olhando agora para trás acho ser algo inaceitável).

Acho-a extremamente bonita e atraente, é uma pessoa que atrai a atenção dos outros homens pela sua beleza e sensualidade. A dificuldade para mim está em olhar para ela e vê-la como mulher que é, minha parceira, e desejá-la ao ponto de iniciar a relação sexual.
Porque depois de a iniciarmos, normalmente sinto-me bem e o sexo é bom. No entanto raramente a consegui "ver" como deveria, mas sim como algo diferente, pois não conseguia sentir o mínimo desejo sexual por ela, apesar de termos muita intimidade e de sentir muito amor e carinho. Ela é uma pessoa com muita líbido, e frequentemente tentava que tivéssemos sexo, mas eu sempre arranjava uma desculpa para que tal não acontecesse. No entanto em datas especiais (dia dos Namorados, aniversários, etc.) sempre conseguimos ter relações, talvez devido ao facto de eu me mentalizar para isso.

Devido ao nosso mau relacionamento sexual a nossa relação foi-se desgastando ao longo do tempo, pois a falta de relações sexuais dá origem a outros problemas de relacionamento. Entretanto decidimos ter consultas de sexologia para tentar resolver o nosso problema - tivemos consultas a dois e só eu individualmente. Nessa altura fiz testes
físicos hormonais, que revelaram que estava tudo normal, sendo apenas um problema psicológico. No entanto os exercícios e sugestões propostos pelo sexólogo não nos ajudaram, e chegaram até a colocar em risco a nossa relação já nessa altura, pois a situação não melhorou e penso até que regrediu um pouco. Já depois disso estivemos separados durante 1 mês no ano passado, e quando voltámos o sexo ao início era bom, e durante um curto espaço de tempo voltei a desejá-la, mas depressa voltou tudo ao mesmo. Sempre fomos muito abertos um com o outro, sempre falámos muito deste problema e ela sempre me apoiou apesar de com o passar do tempo sentir grande necessidade que eu a
desejasse, e no entanto nunca consegui arranjar uma solução para a desejar como normalmente deveria acontecer.

Durante todo este tempo de relação continuei a masturbar-me, a olhar para outras mulheres e a sentir desejo por algumas, mas sinto que voltaria a ter os mesmos problemas de desejo se tivesse uma relação com outra pessoa que desejasse inicialmente, e essa relação atingisse determinado grau de proximidade.

Peço desculpa pois o mail já vai muito longo, mas pretendia dar o maior número de detalhes possíveis para que a ajuda possa ser mais efectiva. Escrevo-lhe para que me dê uma pista sobre qual poderá ser o meu problema e orientação sobre o próximo passo a tomar, pois sei que se a nossa vida sexual tivesse sido normal, não teríamos chegado a este ponto. Amo muito a minha (ex) namorada e quero fazer tudo para a recuperar e dar-lhe aquilo que ela precisa como dei no início da nossa relação.

Muito obrigado.

Bruno

 

Foto in: http://amadeo.blog.com/repository/212944/543095.jpg

 

Bom Dia Bruno,

 

É notória a sua angústia e tristeza pela perda afectiva da sua namorada... mas não nos menciona como eram ao certo os seus conflitos conjugais... ou seja, quando nos refere que tinham um mau relacionamento, refere-se apenas a discussões relativas ao funcionamento sexual?

 

O facto de ter sido acompanhado por um colega em consulta de sexologia é importante, pois recorreu à ajuda que consideramos útil e necessária para a resolução deste tipo de problemáticas, quando as mesmas não têm génese hormonal. Por vezes as terapias não são eficazes ao ponto dos pacientes atingirem o objectivo da terapia, por inúmeros factores. O papel do sexólogo, é um papel mediador e esclarecedor de problemáticas sexuais, que vos irá ajudar a encontrar mecanismos para a resolução dessas incapacidades momentâneas.

 

Durante o período em que esteve em terapia, quer em casal quer individual, conseguiu perceber a génese da sua problemática da perda de desejo aquando a proximidade com a intimidade, ou a habituação dessa mesma intimidade com a sua namorada?

 

É um dos papéis fundamentais da terapia, é que o individuo procure dentro de si mesmo os motivos que considera pertinentes para os seus bloqueios sexuais, porque isso é que terá de ser trabalho, posteriormente em terapia.

 

Peço-lhe que pense um pouco em todo o seu percurso afectivo e sexual e como se sentiu em cada um dos momentos e reflicta sobre essa matéria. Existe muita informação que tem de ser explorada acerca do seu percurso afectivo/sexual....

 

Obrigada.

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Dr. Manuel Mendes Silva

Médico Urologista Fellow do European Board of Urology. Ex-Presidente da Associação Portuguesa de Urologia e do Colégio de Urologia da Ordem dos Médicos. Ex-Vice Presidente da Sociedade Portuguesa de Andrologia. Director da Oficina de Ética da Conderação Americana de Urologia.

Links

Hospital de ST Louis

  •  
  • Caracterização dos Leitores da Linha de Sexologia

    Métodos Contraceptivos utilizados pelos leitores da linha de Sexologia:

    Total de 426 Votos
    Votação realizada de 22/02/2008 a 27/03/2008

    Pílula - 213 (50%)
    Preserv. Masc. - 107 (25.12%)
    Coito Interrom. - 35 (8.22%)
    DIU - 25 (5.87%)
    Anel Vaginal - 18 (4.23%)
    Abstinência - 13 (3.05%)
    Implante - 5 (1.17%)
    Contrac. Cirúrg. - 4 (0.94%)
    Contrac. Emerg. - 2 (0.47%)
    Espermicida - 2 (0.47%)
    Injectável - 1 (0.23%)
    Preserv. Femi. - 1 (0.23%)

    Das seguintes expressões, a que melhor me descreve é:

    Total de 146 Votos
    Votação realizada de 27/03/2008 a 12/05/2008

    Lésbica - 3 (2.05%)
    Gay - 4 (2.74%)
    Homossexual - 4 (2.74%)
    Heterossexual - 115 (78.77%)
    Bisexual - 13 (8.90%)
    Nenh. desc. - 2 (1.37%)
    ident. sex. oscila - 5 (3.42%)

    Arquivo

    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2013
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2012
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2011
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2010
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2009
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2008
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D

    Envie a sua questão

    As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

    E-mail: CLIQUE AQUI PARA ENVIAR