Segunda-feira, 2 de Junho de 2008
Síndrome dos Ovários Poliquisticos

De Cristina, a 28 de Maio de 2008 às 13:44

    

Boa tarde,

 

Chamo me cristiana tenho 24 anos estou a tentar engravidar e nao consigo, suspeio, junto com a minha medica que tenho sindrome  dos ovarios policisticos devido aos sintomas mas tenho muito pouca informaçao sofre o assunto, poderia me esclarecer melhor.

 

obrigado

 

 

  

 Foto in: http://www.lojinhadacrianca.com.br/img_guia/ovario_poli.jpg

 

 

 

Boa Tarde Cristina,

 

A Síndrome dos Ovários Poliquísticos (SOP) é uma doença endócrina complexa, que tem como elementos principais hiperandrogenismo e anovulação crónica.

 

Caracteriza-se por irregularidade menstrual ou amenorréia e uma ampla gama de achados decorrentes do hiperandrogenismo: hirsutismo, acne, alopécia e seborréia. Representa uma das desordens endócrinas reprodutivas mais comuns em mulheres, acometendo em torno de 5% a 10% da população feminina em idade fértil.

 

Diagnóstico da SOP:

O diagnóstico da SOP é de exclusão. A suspeita fundamenta-se em irregularidade menstrual e sinais de hiperandrogenismo: hirsutismo, acne, aumento das concentrações séricas de testosterona total, livre ou de androstenediona.

 

As Concentrações séricas de LH geralmente encontram-se elevados e de FSH normais ou baixos, embora 20% a 40% destas pacientes não apresentem estes achados, sendo as determinações de LH e FSH prescindíveis. A maioria das mulheres com SOP apresentam aumento da resistência à insulina e hiperinsulinemia compensatória, sendo que a determinação laboratorial da resistência à insulina não é essencial para o diagnóstico na prática clínica.

 

Níveis séricos de prolactina e TSH são fundamentais para exclusão do diagnóstico de hiperprolactinemia ou hipotireoidismo. Níveis elevados de prolactina estão presentes em até 35% dos casos de SOP. É importante o diagnóstico da hiperplasia supra-renal congénita de instalação tardia, cujo quadro clínico pode ser indistinguível ao da SOP.

 

Tratamento de sinais e sintomas do hiperandrogenismo

Hirsutismo e acne

• Contracepção hormonal oral: acetato de ciproterona, desogestrel, gestodeno;

• Espironolactona 50-200mg/dia;

• Acetato de ciproterona 50mg/dia com o esquema sequencial reverso;

• Acne grave, encaminhar para tratamento especializado com o dermatologista;

• Flutamida 250mg/dia;

• Finasterida 5mg/dia;

• Cetoconazol e Glitazonas: efeitos colaterais limitam seu uso em larga escala;

   

Irregularidade menstrual

• Contraceptivos hormonais orais acima citados;

• Progestínicos na segunda fase do ciclo;

• ß níveis de insulina. Metformina é a droga mais estudada, 1500 a 2000mg/dia.

   

Controle do Peso

A perda de peso é capaz de reverter os sinais e sintomas advindos do hiperandrogenismo.

  

Tratamento da infertilidade

 Nas formas mais leves, a mulher afectada pode não ter anormalidade menstrual e pode ovular normalmente, mas frequentemente demora mais tempo do que o normal para engravidar e apresenta uma maior probabilidade de aborto espontâneo.

Se tem caracterização moderada, há irregularidade menstrual, tais como Oligomenorreia ou amenorreia secundária e deficiência de ovulação.

A forma mais grave é caracterizada por obesidade, hirsutismo, amenorreia e consequente infertilidade.

 

Dieta e exercícios físicos representam o tratamento de primeira linha, melhorando a resistência à insulina e retorno dos ciclos ovulatórios, mesmo na ausência de perda de peso. A droga de escolha para indução da ovulação em pacientes com SOP é o citrato de clomifeno (CC), 50 a 200 mg/dia durante cinco dias, a partir do 3º, 4º ou 5º dia do ciclo. Cerca de 50% a 80% das pacientes apresentam ovulação e 40% a 50% engravidam. Pacientes com SOP resistentes ao CC podem utilizar drogas que diminuem os níveis de insulina, isoladas ou em associação ao CC. A utilização isolada da metformina (1500mg/dia a 2000mg/dia) promove a ovulação em 78% a 96% das pacientes. Pacientes com níveis elevados de DHEAS são mais resistentes ao CC e podem beneficiar-se da administração de corticóide. 

 

Se a concepção não ocorreu após uma tentativa de seis meses de clomifeno, uma tentativa de terapêutica com gonadotrofina pode ser iniciada, algumas vezes em combinação com um análogo de GnRH com o fim de bloquear a secreção de LH e, assim, reduzir o risco de aborto. 

 

Precisa ser usado com grande cautela nestes pacientes, já que estas pacientes são muito susceptíveis ao desenvolvimento do síndrome de hiperestimulação ovárica, e também porque a mesma dose de gonadotrofina pode induzir uma resposta muito diferente em ciclos diferentes.

 

A fertilização in vitro (FIV) pode ser utilizada nos casos em que a estimulação ovariana foi exagerada, com o objectivo de evitar o cancelamento do ciclo. Pacientes com SOP parecem ter maior risco de aborto após FIV.

 

A mudança de hábito de vida, por meio da reeducação alimentar e exercício físico, consiste no tratamento de primeira linha. A perda de peso resultante favorecerá a queda dos androgénios circulantes, melhorando o perfil lipídico e diminuindo a resistência periférica à insulina; dessa forma, contribuirá para o decréscimo no risco de aterosclerose, diabetes e regularização da função ovulatória. A prescrição de contraceptivos hormonais orais de baixa dose, por sua vez, propiciarão o controle da irregularidade menstrual e redução do risco de cancro do endométrio.

Obrigada.

 



publicado por Linha de Urol. às 19:15
link do post | adicionar aos favoritos

Comentários:
De Yara a 23 de Junho de 2008 às 01:14
Eu tenho ovários micropoliquisticos, e no entanto não tenho peso a mais, não tenho pela oleosa, tenho pouco acne, nem tenho hormonas mascolinas excessivas. Apenas tenho muitas dores e menstruação abundante. Qual a provavel origem ?


De Dra Vera Ribeiro a 23 de Junho de 2008 às 18:56
Boa Tarde,

Os ovários micropoliquisticos são uma desordem endócrina, que causa a falta de ovulação, que vai produzir alguns sintomas, o que não quer dizer que todas as mulheres tenham os mesmos. O importante é determinar o diagnóstico e tratar.

Obrigada.


De Anónimo a 27 de Julho de 2008 às 23:19
Boa noite. Tenho 28 anos e agora decidi engravidar. Quando fui ao genecologista para ver se estva tudo bem foi-me detectado o sindroma de ovários poliquisticos. Fiquei assustada! Não sei muito sobre esta doença. Mandou-me fazer um tratamento de tomar 5 comprimidos nos 1ºs. dias do ciclo mestrual. E depois ter relações sexuais nos dias especificos e fazer esse tratamento durante seis meses.
Gostava de saber se esta doença é genética, se já nasce connosco ou se aparece como um fibroadenoma num peito, como eu já tive, por exemplo.
O médico disse-me que não ovolo todos os meses. Tenho que fazer tratamento. Também engordei à cerca de 5 meses para cá 8 kg. Gostaria de uma explicação sobre esta doença. Também sou hipertensa. ( anónima)


De Linha de Urol. a 19 de Agosto de 2008 às 14:54
A síndrome do ovário poliquístico é uma das desordens endocrinológicas mais comuns.

A causa propriamente dita ainda não é conhecida. No entanto, já é sabido que há um aumento na produção de insulina devido a uma diminuição de sua acção nas células do organismo. Esse aumento leva a uma maior produção de andrógenos (hormonas masculinas) pelos ovários. Além disso, há uma disfunção no equilíbrio de duas hormonas da hipófise responsáveis pelo controle dos ovários: LH X FSH.(LH-hormona luteinizante e FSH-hormona folículo estimulante).

O facto de ter aumentado o peso,
é também um dos indicadores da sindrome.
Mas não se preocupe que a medicação irá controlar esses factos.

Obrigada


De Andreia a 30 de Agosto de 2008 às 17:34
Olá. O meu nome é Andreia. A informação sobre a SOP aqui apresentada está bastante clarificadora, mas eu tenho uma questão. Se a Síndrome dos Ovários Micropoliquísticos for detectada na adolescência, pode ter alguma consequência futura? E como pode ser tratada nesta fase da vida? Obrigada


De tanya a 9 de Setembro de 2008 às 18:27
ola!chamo-me tanya vivo nos eua .
eu tomei a pilula minigeste por 6 anos,parei de tomar pk queria engravidar,mas desde que parei o meu periodo nunca mais me veio,fui ao medico e ele disse que eu tinha ovarios policisticos mas que nao podia fazer nada pk nao ha operacao possivel,eu ja nao tenho periodo ha 2 anos e gostaria muito de ter um filho.
por favor informe sobre o que posso fazer
obrigada


De Linha de Urol. a 27 de Setembro de 2008 às 18:34
Boa Tarde Tanya,

Quando não nbos sentimos confprtáveis a ouvir um diagnóstico, eu penso que temos sempre o direito de pedir uma segunda opinião, ácerca de tratamentos, e por isso penso que deveria remarcar uma consulta de ginecologia, para verificar possibilidades de tratamento, porque existem sim.

Obrigada.


De Elisabete a 1 de Outubro de 2008 às 19:52
Olá!
Gostei muito da explicação que deu sobre a doença.Sofro de SOP já à quase quatro anos.Como me casei recentemente quero engravidar.Já andei numa genecologista que me encaminhou a tomar provena, como mudei de região após me casar, consultei o meu novo médico de familia e ele receitou-me o mesmo após ter feito novos exames e ecografia.O problema é que o periodo vem após ter tomado o medicamento, mas no mês seguinte já não vem e tenho de o tomar outra vez.Mas se entretanto eu fico gravida sem ter noção disso, pensando que o periodo não veio pela doença, é que li no folheto que o medicamento pode causar más deformações se tomado nos primeiros meses de gestação!!Sinto-me assustada.O que me sugere.Alguem me sugeriu um endocrinologista, acha que devo ir a uma consulta.
Obrigada pelo seu tempo.
Atenciosamente
Elisabete C.


De Linha de Urol. a 8 de Outubro de 2008 às 21:17
Boa Noite Elisabete,

A melhor especialidade para a seguir e responder a todas as suas dúvidas é sem dúvida a ginecologia. Procure um médico desta especialidade e prossiga a terapeutica prescrita.

Obrigada.


De Anónimo a 26 de Outubro de 2008 às 10:29
Tambem tenho a SOP.Tenho 23anos e foi-me diagnosticada aos 16anos,pois a minha menstruação era irregular e começaram a aparecer-me muitos pêlos, inclusive na cara (hirsutismo).
Consultei primeiro o meu médico de família que me receitou a pilula diane35,após alguns meses os pêlos desapareceram, no entanto passado um ano esta pilula começou a fazer-me mal, tinha vómitos,diarreia e desmaiava. Deixei de tomar e os pêlos voltaram a aparecer. Decidi então consultar uma endocrinologista que me fez exames mais especificos e comecei a tomar a pilula yasmin.
Tenho o mesmo medo que as mulheres que comentaram este post. Quero muito ter filhos e tenho medo de não conseguir.
Obrigado.
Ana Faria


De tania a 1 de Novembro de 2008 às 17:11
ola
eu tambem tenho o mesmo problema que tu,ja tou a tentar engravidar ha 3 anos ate agora nao consegui,tambem tenho muitos pelos na cara parece a barba de um homem,eu penso que isto tudo e derivado a pilula os medicos dizem que nao mas quando eu nao tomava a pilula nunca tinha problemas mas desde que parei comecou os problemas.SE TU QUERES UM CONSELHO MEU NAO TOMES A PILULA PORQUE PIORA A SITUACAO.AGORA E A DOENCA DO SECULO PORQUE?porque as mulheres na quela tempo nao tomava pilula e nao se ouvia falar em nada disso,eu tenho uma grande raiva a pilula nunca mais na minha vida volto a tomar.vou te deixar o meu email se quizeres falar comigo e taniaemanuel@hotmail.com


De Márcia a 16 de Novembro de 2008 às 13:52
Boa tarde,

Foi-me indicado que poderia ter SOP, devido aos sintomas que apresento. Apesar das indicações apresentadas aqui, gostaria de saber que consequências pode ter esta doença e de que forma pode ser tratada, visto que ainda não estou muito bem informada sobre este assunto.
Obrigada


De Sara a 29 de Setembro de 2009 às 12:35
Boa tarde, tenho 30 anos e estou a tentar engravidar a quase 2 anos. Foi me diagnosticado ovarios poliquisticos e fiz um tratamento com bromocriptina (parlodel). Mas provocou me hiperestimulação ovárica, desde então a minha ginecologista suspendeu esse medicamento e não receitou mais nada. Entretanto a minha menstruação continua a ser irregular e estou a espera de uma consulta de infertilidade a algum tempo. Estou a entrar em desespero. Existe mais alguma coisa a fazer entretanto?? Será melhor consultar com clinicos no particular?


De Beatriz a 22 de Dezembro de 2009 às 00:09
Olá, boa noite. Eu também tenho ovários poliquisticos mas ao contrário do que aqui está explicado e descrito, eu não tenho qualquer sintoma. Sempre fui bastante regular, desde a primeira menstruação até agora, nunca sofri de acne e até poucos pelos.Já me foi diagnosticado aos 21anos,agora tenho 23, será que ainda me vão aparecer os sintomas característicos ?
Muito obrigado pela atenção!


De Sonia a 12 de Janeiro de 2010 às 14:14
Ola...
eu tenho 18 anos e tenhou menstrução muito irregular, existem meses que nem tenhu...
para além disso tenhu um pouco de excesso de peso.
Será que tenho ovários poliquísticos?'
Ou será que o facto de ter excesso de peso e o factor para que a minha menstruação?'


Comentar post

Consultórios
DR MANUEL MENDES SILVA:
Urologia
Avenida da Liberdade nº 202, 1º.
Contacto: 21 3524276

Dr. Manuel Mendes Silva
Médico Urologista Fellow do European Board of Urology. Ex-Presidente da Associação Portuguesa de Urologia e do Colégio de Urologia da Ordem dos Médicos. Ex-Vice Presidente da Sociedade Portuguesa de Andrologia. Director da Oficina de Ética da Conderação Americana de Urologia.
CONSULTA de SEXOLOGIA em CASTELO BRANCO
Marcações de consulta de Sexologia em Castelo Branco, com a Dra. Vera Ribeiro
MORADA: Quinta da Milhã - Estrada do Salgueiro, Castelo Branco
Contacto para marcação: 272 348 860
http://www.euromedic.pt (Informe-se sobre convenções de seguros para a consulta, na Clínica). Consultas aos sábados no período da manhã!
Envie a sua questão
As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: CLIQUE AQUI PARA ENVIAR
Outras Ligações
Pesquisar
 
Caracterização dos Leitores da Linha de Sexologia
Métodos Contraceptivos utilizados pelos leitores da linha de Sexologia:

Total de 426 Votos
Votação realizada de 22/02/2008 a 27/03/2008

Pílula - 213 (50%)
Preserv. Masc. - 107 (25.12%)
Coito Interrom. - 35 (8.22%)
DIU - 25 (5.87%)
Anel Vaginal - 18 (4.23%)
Abstinência - 13 (3.05%)
Implante - 5 (1.17%)
Contrac. Cirúrg. - 4 (0.94%)
Contrac. Emerg. - 2 (0.47%)
Espermicida - 2 (0.47%)
Injectável - 1 (0.23%)
Preserv. Femi. - 1 (0.23%)

Das seguintes expressões, a que melhor me descreve é:

Total de 146 Votos
Votação realizada de 27/03/2008 a 12/05/2008

Lésbica - 3 (2.05%)
Gay - 4 (2.74%)
Homossexual - 4 (2.74%)
Heterossexual - 115 (78.77%)
Bisexual - 13 (8.90%)
Nenh. desc. - 2 (1.37%)
ident. sex. oscila - 5 (3.42%)

Arquivos

Abril 2014

Dezembro 2013

Junho 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Subscrever feeds