Segunda-feira, 28 de Abril de 2008
A relação sexual não tem vindo a ser muito activa, ela recusa sempre a penetração...

De Anónimo a 27 de Abril de 2008 às 07:34

  

Bom dia,

   
minha mulher e eu temos 3 filhos um de 12 anos outro de 3 e de 2 anos.
nossa relaçao sexual nao tem vindo a ser muito activa ela recusa sempre a penetraçao : a vida dela diaria e tratar dos filhos todos os dias anda muito stressada e a relaçao sexual e posta de lado ela diz que sente uma coisa estrenha no corpo e nao sabe o que e diz tambem que nao tem vontade sera por ela andar stressada ou de tomar medicamentos calmantes?
 
Foto in: http://www.guerreiradaarte.blogger.com.br/mulher%20adormecida%20com%20persianas%201936.jpg
 
Boa Tarde,
 
O facto da sua parceira demonstrar pouco desejo / iniciativa para relação sexual e recusa de penetração, demonstrar alguma perturbação de desejo sexual hipoactivo e provavelmente terá um pouco de aversão sexual neste momento.
 
Neste tipo de problemáticas é importante avaliar devidamente a situação, tentando encontrar a génese do problema actual, seja ele psicológico ou orgânico, mas muitas das vezes a própria pessoa sabe que tem algo diferente mas não se sente bem ir ao médico queixar-se sobre falta de desejo e aversão do toque pelo seu parceiro.
 
No caso da sua parceira, a problemática pode estar interligada com o papel diário de mãe / cuidadora, que se for em demasia, a atenção e tarefas para com os filhos, isso poderá estar a impossibilitá-la de assumir o papel de esposa na vossa relação.
 
É importante também tentar perceber quando ela refere que tem uma sensação estranha no corpo, e avaliar os sentimentos e sensações que ela possa descrever, como diferentes, e procurar o sentido desse desconforto, porque também poderá ter uma causa orgânica.
 
Alguns medicamentos podem afectar o desejo e a realização sexual. Estes incluem: medicamentos para tratar a hipertensão, a dor no peito e arritmias, pílulas, descongestionantes nasais, tranquilizantes e antidepressivos . O fluido vaginal pode não ser o suficiente o que torna a relação sexual dolorosa e deixar de haver desejo sexual ou não atingir orgasmo.
   
Os antidepressivos, incluindo os inibidores da recaptação da serotonina ISRSs ), como fluoxetina e  paroxetina , que podem alterar os neurotransmissores e afectar o desejo e a resposta sexual, além de causar cansaço e náuseas; Os antibióticos, podem causar infecções tornando as relações sexuais desconfortáveis; Anti-histamínicos, secam as membranas mucosas (incluindo as da vagina); Remédios para o coração e hipertensão, causam disfunção sexual em cerca de 25% das mulheres que os ingerem; Os calmantes, podem diminuir a libido e retardar ou impedir o orgasmo; Dietéticos, auxiliares para o sono e outros remédios que não precisam de receita, podem causar sonolência e reduzir o desejo e a função sexual.
      
As hormonas estão normalmente sempre em cima da mesa, quando o assunto é desvendar quaisquer mudanças, boas ou más, no corpo humano. Nas mulheres, o estrogénio e a progesterona, que são produzidos nos ovários, são muito importantes e têm diversas funções, dependendo muito da idade. Até a mulher chegar aos 40 anos estas hormonas, assim como a testosterona e outros andrógenos, estão a funcionar normalmente.
   
A testosterona estimula o desejo sexual nas mulheres, e os estrogénios mantêm a região vaginal lubrificada (no entanto, a secura vaginal pode acontecer no período menstrual ou se a mulher estiver a tomar determinados conraceptivos orais. Nestes casos, um lubrificante à base de água poderá ser útil.
   
Não será fácil avaliar a sua parceira sem que esta seja observada por um especialista, porque estas situações podem ter outra causa, por isso a sua parceira não deve deixar de tomar os medicamentos, fale com ela e sugira-he, que em conjunto, marquem uma consulta de ginecologia para ela começar por, fazer umas análises para verificar como se encontram as hormonas. E posteriormente sugerir uma consulta com a especilidade de Sexologia, para que inicie um tratamento no sentido da problemática existente seja o desejo sexual hipoactivo ou aversão sexual. Se for uma questão de inrteferência com medicamentos, que a sua parceira esteja  tomar actualmente, em geral, uma mudança de medicamento ou de dosagem pode resolver o problema.
  
Os ingredientes para a excitação da mulher são:auto-estima, autoconfiança, sentir-se atraente, amada e protegida.
 
Por isso o segredo é ser um bom ouvinte e perceber o que a sua parceira lhe vai dando a perceber sobre o seu estado sexual, ajudá-la a diminuir o stress e cansaço, se possivel. Uma boa comunicação entre o casal é meio caminho para que se entendam sexualmente, e tudo volte à normalidade.
 
Obrigada  


publicado por Linha de Urol. às 17:38
link do post | adicionar aos favoritos

Consultórios
DR MANUEL MENDES SILVA:
Urologia
Avenida da Liberdade nº 202, 1º.
Contacto: 21 3524276

Dr. Manuel Mendes Silva
Médico Urologista Fellow do European Board of Urology. Ex-Presidente da Associação Portuguesa de Urologia e do Colégio de Urologia da Ordem dos Médicos. Ex-Vice Presidente da Sociedade Portuguesa de Andrologia. Director da Oficina de Ética da Conderação Americana de Urologia.
CONSULTA de SEXOLOGIA em CASTELO BRANCO
Marcações de consulta de Sexologia em Castelo Branco, com a Dra. Vera Ribeiro
MORADA: Quinta da Milhã - Estrada do Salgueiro, Castelo Branco
Contacto para marcação: 272 348 860
http://www.euromedic.pt (Informe-se sobre convenções de seguros para a consulta, na Clínica). Consultas aos sábados no período da manhã!
Envie a sua questão
As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: CLIQUE AQUI PARA ENVIAR
Outras Ligações
Pesquisar
 
Caracterização dos Leitores da Linha de Sexologia
Métodos Contraceptivos utilizados pelos leitores da linha de Sexologia:

Total de 426 Votos
Votação realizada de 22/02/2008 a 27/03/2008

Pílula - 213 (50%)
Preserv. Masc. - 107 (25.12%)
Coito Interrom. - 35 (8.22%)
DIU - 25 (5.87%)
Anel Vaginal - 18 (4.23%)
Abstinência - 13 (3.05%)
Implante - 5 (1.17%)
Contrac. Cirúrg. - 4 (0.94%)
Contrac. Emerg. - 2 (0.47%)
Espermicida - 2 (0.47%)
Injectável - 1 (0.23%)
Preserv. Femi. - 1 (0.23%)

Das seguintes expressões, a que melhor me descreve é:

Total de 146 Votos
Votação realizada de 27/03/2008 a 12/05/2008

Lésbica - 3 (2.05%)
Gay - 4 (2.74%)
Homossexual - 4 (2.74%)
Heterossexual - 115 (78.77%)
Bisexual - 13 (8.90%)
Nenh. desc. - 2 (1.37%)
ident. sex. oscila - 5 (3.42%)

Arquivos

Abril 2014

Dezembro 2013

Junho 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Subscrever feeds