Terça-feira, 26 de Agosto de 2008
O meu marido é um viciado em pornografia!
De Anónima, a 25 de Julho de 2008 às 17:05

  

Obrigado por se disponibilizarem a ajudar pessoas.

 

Meu caso tenho notado que não é isolado,porem não deixa de incomodar ou de fazer-me infeliz.

  
Meu marido é um viciado em pornografia.

  
por este motivo nossa vida se desfaz como um castelo a beira-mar. Frequentamos uma comunidade religiosa que nos apoia,inclusive já se dispos a pagar tratamento psicológico o qual ele fez por alguns meses e depois disse que o problema já estava resolvido porem ontem eu o flagrei assistindo um filme.A reação dele é tremer muito,negar mesmo sendo evidente,me chamar de amor;na realidade parece se sentir culpado...

  
Demorou para eu perceber,mas nossas relações ficaram cada vez mais distantes ao ponto de meses sem me procurar.Devo dizer que ele tem 50 anos,Ficou desempregado e está a dois anos, eu faço um trabalho free lancer de maquiagem e camareira para figurino e todas as vezes que eu saia para trabalhar ele ficava em casa sempre dando uma desculpa quando eu voltava.

 
Se tornou relaxado consigo cada vez mais.
Ele tem toda ciencia do quanto isto me incomoda.Fui somando as histórias e cheguei a conclusão que ele sempre gostou de pornografia sò que deve ter se tornado cronico ele é um dependente mesmo.

 
Nosso casamento está por meio fio para acabar.sei que ele precisa de ajuda mas não sei exatamente o quanto tem conciencia disso.E não sei mais quanto vou conseguir. minhas forças estão minadas.

  
Se puder me ajude mande-me um email.

  
Sou muito grata pela atenção.

 

Foto in: http://simplesmentepalavras.blogs.sapo.pt/arquivo/casal.gif

 

 

 

Bom Dia,

 

Agradecemos a sua questão.

De facto, a dependência / vício pornográfico, é uma questão que afecta quer o próprio, quer os familiares que o rodeiam. É uma patologia que só poderá ser devidamente tratada, quando o próprio se disponibilizar e quiser ser tratado.

 

Quando refere que encontra o seu parceiro a visionar, este tipo de filmes e sente que ele também fica de alguma forma atrapalhado por ser apanhado, pois também pode existir a hipótese de este se sentir mal por este tipo de comportamento, mas não conseguir controlar esta adição e sentir-se perturbado por isso.

 

Fale com o seu parceiro, sobre esta adição, mas sem o julgar, por forma a tentar perceber se este está interessado em tratamento para esta problemática, ou não.

 

Deverá recorrer à especialidade de sexologia, ou psiquiatria, para que o seu parceiro, possa iniciar uma terapia, com vista à diminuição, e até mesmo eliminação, destes comportamentos.

 

Obrigada.



publicado por Linha de Urol. às 10:42
link do post | adicionar aos favoritos

Comentários:
De Isabel a 1 de Outubro de 2008 às 18:41
Boa Tarde Drª Vera, venho aqui para lhe colocar uma questão.
O meu marido encontra-se na faixa etária dos 20 aos 25 anos, temos uma vida sexual bastante activa, no entanto ele não se controla e assim que vem ao computador vai logo procurar sites pornográficos, ver filmes e tudo mais.
Já falei com ele e já lhe disse que me sinto desconfortável com esta situação, que me sinto triste, ele prometeu-me que se ia controlar mas voltou a fazê-lo. Ele disse que desde pequeno que vê filmes pornográficos e que se masturba com isso e eu de certa forma sinto-me mal por lhe pedir que ele deixe de fazer uma coisa que ele fez a sua vida toda!
Tento ignorar mas está a tornar-se demasiado difícil para mim lidar com esta situação diariamente.
O que me aconselha a fazer Drª Vera?
Obrigado pela atenção,

Isabel


De Linha de Urol. a 8 de Outubro de 2008 às 21:15
Boa Noite Isabel,

De certo que estas situações se tornam incomodativas, pois invadem a sua intimidade, e vão ferindo a sua imagem, como se por vezes se senti-se em segundo plano.

Quando estas situações são de algum modo, repetitivas e persistentes, deverá aconselhar-se o parceiro a perceber que precisa de ajuda, e tentar que reconheça que está perante um problema, apesar do seu parceiro ter mantido este comportamento ao longo de muitos anos, não quer dizer que tenha de continuar a fazê-lo. Tem de procurar perceber o que é que ele procura atingir com o visionamento dos sites, o que falta para o preencher sexualmente?

A comunicação é o melhor meio para que as situações se resolvam e que os parceiros, que se encontram nestas situações assumam que têm um problema e em seguida possam procurar ajuda em sexologia, para esta situação.

A maior parte das parafilias têm cura, mas a principal peça do puzzle é o individuo aceitar que tem um problema e aceitar ajuda.

Fale com ele novamente, se precisar de mais ajuda pode contactar-nos novamente.

Obrigada.


De Susymary a 6 de Novembro de 2008 às 00:37
Desculpem lá, mas está tudo parvo?
Desde quando é que ver pornografia é doença?
Estamos nos Estado Unidos, o país da hipocrisia? Felizmente, não me parece!

Ver pornografia até pode ser saudável, é uma actividade tão saudável como a masturbação! Agora só falta dizer que a masturbação também é doença!

Tenham santa paciência!

E à senhora do post está a pensar mandar o marido às urtigas porque ele vê pornografia, nem sei que dizer! Ou melhor, até sei: Deixe-se de pudiquices parvas e deixe o senhor divertir-se um pouco na vida desanimada que tem actualmente! Se ele não a procura não é certamente por causa da pornografia que vê, mas muito provavelmente porque não consegue suportar esse seu arzinho de santa!

Desculpem a sinceridade, mas há coisas que me tiram do sério! E o mais preocupante de tudo isto é alguém estar a dar aqui opiniões como especialista de sexologia/urulogia ou o que quer que seja, e só dizer disparates que nada têm de médico ou cientifico!


De Linha de Urol. a 6 de Novembro de 2008 às 12:38
Boa Tarde Susymary,

Agradecemos desde já o seu comentário, mas gostariamos de a informar, que existe uma grande diferença do homem que visiona pornografia casualmente sem ser de forma repetitiva e sistemática. E existe o visionamento de pronografia sobre a forma de dependência sexual, e isso sim é uma patologia que deve ser tratada, pois este tipo de transtorno de dependência sexual, afecta quer seja os faimiliares quer o próprio, pois por vezes atinge o ponto de apenas obter prazer através do visionamento de pronografia.

O visionamento de pornografia de uma forma sistemática e continuada, é um tipo de dependência sexual que pode e deve ser acompanhado em psiquiatria, psicologia ou sexologia.

Todas as pessoas têm o direito de expressar a sua opinião, que foi o que a mulher deste senhor fez, no sentido de saber como procurar ajuda para este problema. Apenas deverá compreender que não estamos a falar de um homem comum que visiona um filme de uma vez ou outra.

Agradecemos o seu comentário e esperamos que continue a dar-nos a sua opinião, ou até mesmo tirar dúvidas sobre estes temas.


De pedro almeida a 31 de Dezembro de 2009 às 01:30
O que mais se encontram são os comentários das esposas que sofreram com o vício do cônjuge Eu falo do outro lado, depois de cerca de 18 anos de vício, que a internet ajudou e simplificou até um único clique no rato. Tudo começou como uma forma de aliviar o stress na faculdade e depois no trabalho. Neste momento está em risco a minha relação e a minha família, pois fui descoberto pela minha mulher. Tentei deixar isto diversas vezes, algumas delas mais duradoiras que outras, sempre com o medo de ser descoberto. Olhando para trás, admito que interferiu com a nossa intimidade e algumas vezes até com o próprio desempenho sexual, aliado ao stress de um trabalho muito exigente. O desejo de ver pornografia torna-se omnipresente e incomodativo. Nos momentos mais críticos , consumi vorazmente tudo o que encontrei na frente, pois as coisas "leves" já faziam o mesmo efeito, até ao ponto de nada me aliviar da mesma forma. Estou neste momento à procura de ajuda. Sinto-me sozinho, pois não é coisa que consiga falar com amigos ou familiares próximos. Receio ser visto como uma aberração, receio mesmo estar a caminhar a passos largos para me tornar numa, se é que isso não se tornou já uma realidade. Como todos os outros vícios, isto chega ao ponto de se substituir a outras realidades que nos davam realmente prazer (sem remorsos) e leva a uma indiferença pelo dia-a-dia. Este testemunho é também um pedido de ajuda pois não sei a quem me dirigir. Depois de admitir o vício, o objectivo é claro. O caminho a percorrer é que não.


De Cristina a 16 de Novembro de 2008 às 03:58
Olá, tenho um problema semelhante, faz muito tempo que meu marido não me procura sexualmente! Primeiro porque engravidei, aí a procura diminuiu e depois do bebe nascer também não aumentou em nada na procura( sei que poderá ser de certa forma tabus na gravidez, e depois do bebe nascer não conseguia fazer por eu ser mãe?!!!!!?? - já li que certos homens não conseguem pois associam às mães deles). Também é uma pessoa que recorria e recorre à pornografia às escondidas. E 4 meses após o parto só tivemos relações uma vez perto dos 3 meses. Já conversamos, mas ele não se mostra muito receptivo!! Já nem sei o que fazer. Sei que sexo não é tudo, e que agora tenho um bebe para cuidar, mas esta situação começa a deixar me preocupada, angustiada, triste, enfim...


De mllm8 a 27 de Fevereiro de 2009 às 23:10
Acontece o mesmo comigo mas só com uma diferença, eu tenho 27 anos e o meu marido 29 anos ! Estamos juntos há 9 anos e só me apercebi da situação ao fim de 3 anos.
Inicialmente, tínhamos relações quase todos os dias. No inicio do ano de 2006 que o meu marido começou a mudar, começou a procurar-me 1 vez de 15 em 15 dias e mais para o meio do ano dei comigo a ter relações com ele quase 1 vez de 2 em 2 meses. Tive várias conversas com ele sobre o assunto, que poderia estar a precisar de ajuda, mostrei-lhe o quanto me magoava o que ele estava a fazer. Em 2007, só tive 7 vezes relações com ele e das 7 vezes, fui eu que o procurei sempre. Durante este ano, tivemos várias discussões. cheguei mesmo a pensar que existia mais alguém entre nós!
Em 2008, a coisa continuou mas mais séria, não me procurava, eu é que tinha que o procurar, deixava-me deitar para se masturbar a ver filmes porno, outras vezes fazia de conta que estava a dormir até eu adormecer e lá ia ele outra vez, chegou mesmo a não querer sair de casa comigo para fazê-lo, etc...
Foi então que, em Agosto de 2008, tivemos outra grande discussão e desta vez íamos nos separando! demonstrei-lhe mais uma vez o quanto me magoava estava e decepcionada, ele prometeu que nunca mais o voltaria a fazer, que sempre que tivesse vontade me iria procurar. Realmente conseguiu durante 1 mês!
Entretanto, em Setembro , mudámos de casa e o que é certo é que tudo voltou ao mesmo! Desde Setembro só tive 5 vezes relações com ele, fui eu que o procurei de todas essas vezes e quase que foi por favor que o fez. Continua a masturbar-se quase todos os dias mesmo apesar de saber que eu sei o que faz e que me magoa. As desculpas para o fazer são as mesmas de sempre: nós discutimos e por isso não tenho nada contigo, prefiro a masturbação a ter relações contigo estando chateados!; ou então, eu tenho necessidades e por isso faço-o!; tenho estado cansado, etc...
Bem, não me vou alongar mais, já lhe disse tudo, para desabafar com os amigos do que se passa para ter opiniões, para me procurar, procurar ajuda num especialista,etc. Não sei o que fazer mais!
O que é certo, é que sou mulher também tenho desejos, quero ser amada e desejada e infelizmente do meu marido não tenho isso! claro que o sexo não é tudo num relacionamente mas é uma grande parte! Por vezes olho para outros homens e ponho em causa este relacionamento! Acho que está mesmo a chegar ao fim!


De THIAGO a 14 de Outubro de 2009 às 19:34
Boa tarde a todos.

Meu nome é Thiago. Nunca tinha entrado nesse site, não sei qual é o objetivo do site, contudo ao passar pelo mesmo problema, digitei no google "vicio em pornografia" e apareceu esses comentários. Na hora me identifiquei e resolvi escrever um pouco.. Eu me considero viciado em pornografia. Tenho consciência disso e por isso vou buscar ajuda e só o fato de escrever sobre, faz-me sentir melhor. Eu trabalho diretamente na internet e quase todo meu trabalho está ligado ao computador. Eu sempre me indentifiquei com a pornografia e com a desculpa de me distrair, relaxar e até mesmo aprender (posições por exemplo) eu mergulhei nesse mundo. Hoje eu acesso diariamente o site www.redtube.com, talvez seja o maior site do mundo desse gênero. Mas o fato que sinto muita vontade de me masturbar vendo videos desse site e isso acaba tomando meu tempo. Hoje nao consigo controlar mais isso. Tenho namorada, inclusive ela é linda e posso dizer que gostosa, e sei que ela me satisfaz, contudo mesmo assim pensamentos sempre me levam a esse site. Eu desenvolvo projetos complexos e é . muuito comum deixar de faze-los para navegar durante horas e horas. Aceito visões diferentes, contudo a minha visão e certeza é que isso tem me prejudica e muito, pois dependo disso e me sinto mal quanto não faço.. me sinto nervoso, ansioso até um pouco desconcentrado, isso se tornou parte da minha rotina. a diferença é que sei, aceito e vou buscar resolver esse problema, não aceito depender de algo nessa proporção e não vou. Quanto as moças namoradas, casadas etc. Bem, acredito que para o homem isso pode ser tornar um grande mal escondido. Por que entre os homens a pornografia acaba se tornando uma "quase obrigatoriedade" de aceitação, isso aliado a bombardeio de imagens apelativas que recebemos 24 horas.. forma-se um ambiente ideal para alimentar esses vicios.

Muito Obrigado pela atenção e como ainda não estou livre dessa dependência, vou voltar para o site.


De luna a 3 de Agosto de 2009 às 13:12
Bom dia,
Gostaria de pedir ajuda, pois o meu marido é viciado em pornografia. Sou morena,bonita, cabelos grandes, tive filho, fui para academia para não ter barriga e consegui voltar ao corpo de antes. Sou ataente, mas só quem observa isso sao os outros homens. Vejo que ele prefere se satisfazer sexualmente com as mulheres dos vídeos e sites pornográficos. Sinto um enorme vazio dentro de mim, fico toda hora me arrumando, colocando lingeries e etc. Choro muito porque estamos durmindo separados. Depois que ele começou com este vício, nossas relações sexuais foram diminuindo de frequência. Muitas vezes ele queria até me chamar de prostituta e piranha durante o ato. Não aguento mais essa situação.


De Daniela a 12 de Outubro de 2009 às 22:08
Ola! Sou uma raparia que ja tenho a mestruaçao desde os 11 anos de idade e desde sempre foi regular 28 em 28 dias.
pois ha 2 meses para ca tem-me adiantado 2 ou 3 dias e este mes já deveria ter vindo dia 1 e ainda não chegou nada!
Queria saber se isso é normal, ou o que deverei fazer...?
Aguardo resposta breve


De José a 24 de Outubro de 2009 às 09:34
Engraçada, a perspectiva de que está do outro lado da barreira...passa-se o mesmo comigo, em termos de adição \ dependência...face pornografia \ masturbação \ atracção por outras mulheres (até procura por acompanhantes)...sinto que realmente, preciso de ajuda clínica, mas também acho que as principais culpadas acabam por ser as próprias mulheres, que se transformam em donas de casa, que se transformam em super mães...e descuram o amor, a paixão, e a sexualidade...e com o "andar da carruagem"...acaba nisto...
Acabei de recusar fazer amor com a minha esposa, e muito provavelmente vou dentro em pouco, aabar por me masturbar...
Já não consigo...ser sempre eu a ter a iniciativa...a querer qubrar a rotina...parece que sou um mendigo...estou farto \ saturado...daí, penso a tentativa de compensação, que penso, ocorre...
Tenho mais amigos a sentir o mesmo...
Porque é que a fase de namoro não dura para sempre..???
Soos realmente felizes..fazemos sexo em qualquer situação...em qualquer lugar...vezes e vezes sem conta...porque é que agora é tudo tão espartilhado...tão rotineiro...tão conservador...???


De Anónimo a 21 de Novembro de 2009 às 02:21
Boa


De Anónimo a 20 de Janeiro de 2010 às 21:42
Boa noite, Drª Vera.

Gostaria que me ajudasse: estou casada há um ano e meu marido assiste à filmes de pornografias sempre que pode, ou seja, sempre que está sozinho.
Já falei para ele, que quando quiser estarei disponível e ele não precisa ficar olhando essas coisas. E o pior de tudo é que nós não temos uma vida sexual activa , só em oito e oito, não sei mais o que faço, gostaria que respondesse e me ajudasse.

Obrigada, Rosa


De Rui a 28 de Janeiro de 2010 às 12:47
Caros eu sofro de um problema semelhante.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Caros eu sofro de um problema semelhante. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Tb</A> sou um viciado em pornografia. Tenho 37 anos. <BR><BR>Nos tempos de adolescente ate conhecer a minha actual mulher, tive sempre medo de me relacionar com o sexo oposto, por medo de expor sentimentos, de ser rejeitado. Pelo que aos dezoito anos iniciei a minha vida sexual nas prostitutas. <BR>Quando conheci a minha mulher deixei, de frequentar prostitutas durante 5 anos. <BR><BR>Depois mais tarde, achei que a minha mulher não me respeitava, porque não trabalhava, por vários motivos de ordem psicológica <BR><BR>Estou casado a 15 anos. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Ja</A> tentei procurar ajuda, mas a psicóloga não tratava destes casos, e recomendou-me para ir a outro lado. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Nao</A> procurei mais ajuda. <BR><BR>Sei que adoro a minha mulher, mas tenho uma necessidade absurda, como se houvesse uma desregulação hormonal, de me encontrar com prostitutas, de 3 em 3 meses, mesmo que não faça nada com elas. E que não faço. Pois basicamente entrego o dinheiro, e quero ir-me embora. <BR><BR>depois essa adrenalina do momento arrefece, e fico satisfeito, por não ter mais esses sintomas por mais 3 meses. <BR><BR>Ao contrario dos comentarios acima, eu tenho relaçoes sexuais com a minha mulher pelo menos 2 vezes por semana, e satisfatorias para ambos. <BR><BR>estes "ataques" sao sempre coincidentes com o stress do trabalho. Da uma senssação de fobia. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Nao</A> procurei mais ajuda porque a psiquiatra onde fui, deu-me a sencação de reprovar o meu comportamento.


Comentar post

Consultórios
DR MANUEL MENDES SILVA:
Urologia
Avenida da Liberdade nº 202, 1º.
Contacto: 21 3524276

Dr. Manuel Mendes Silva
Médico Urologista Fellow do European Board of Urology. Ex-Presidente da Associação Portuguesa de Urologia e do Colégio de Urologia da Ordem dos Médicos. Ex-Vice Presidente da Sociedade Portuguesa de Andrologia. Director da Oficina de Ética da Conderação Americana de Urologia.
CONSULTA de SEXOLOGIA em CASTELO BRANCO
Marcações de consulta de Sexologia em Castelo Branco, com a Dra. Vera Ribeiro
MORADA: Quinta da Milhã - Estrada do Salgueiro, Castelo Branco
Contacto para marcação: 272 348 860
http://www.euromedic.pt (Informe-se sobre convenções de seguros para a consulta, na Clínica). Consultas aos sábados no período da manhã!
Envie a sua questão
As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: CLIQUE AQUI PARA ENVIAR
Outras Ligações
Pesquisar
 
Caracterização dos Leitores da Linha de Sexologia
Métodos Contraceptivos utilizados pelos leitores da linha de Sexologia:

Total de 426 Votos
Votação realizada de 22/02/2008 a 27/03/2008

Pílula - 213 (50%)
Preserv. Masc. - 107 (25.12%)
Coito Interrom. - 35 (8.22%)
DIU - 25 (5.87%)
Anel Vaginal - 18 (4.23%)
Abstinência - 13 (3.05%)
Implante - 5 (1.17%)
Contrac. Cirúrg. - 4 (0.94%)
Contrac. Emerg. - 2 (0.47%)
Espermicida - 2 (0.47%)
Injectável - 1 (0.23%)
Preserv. Femi. - 1 (0.23%)

Das seguintes expressões, a que melhor me descreve é:

Total de 146 Votos
Votação realizada de 27/03/2008 a 12/05/2008

Lésbica - 3 (2.05%)
Gay - 4 (2.74%)
Homossexual - 4 (2.74%)
Heterossexual - 115 (78.77%)
Bisexual - 13 (8.90%)
Nenh. desc. - 2 (1.37%)
ident. sex. oscila - 5 (3.42%)

Arquivos

Abril 2014

Dezembro 2013

Junho 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Subscrever feeds