Domingo, 13 de Abril de 2014
Iraque poderá ser o primeiro país a legalizar a pedofilia

Projeto de lei em estudo autoriza casamento com raparigas a partir dos 9 anos 







No Iraque, está a discutir-se um projecto de lei que tem gerado muita polémica por realçar o papel vulnerável da mulher e das crianças na sociedade.


Uma das propostas que está a causar mais contestação é a autorização do casamento com raparigas a partir dos 9 anos, por se considerar que é uma forma de consentir e cooperar com o crime de pedofilia. 


A permissão da poligamia e a determinação da forma como o homem deve lidar com as suas mulheres também está incluído. Apesar de terem de tratar de todas as esposas da mesma forma, o homem pode passar mais tempo com as que não tenham sido casadas anteriormente e com as que sejam mais novas.


Pretendem, também, autorizar a violação dentro do casamento, onde o homem tem o direito de ter relações sexuais com a mulher independentemente da vontade dela.


Para além disso, o projeto de lei ainda cria dificuldades e entraves no pedido de divórcio às mulheres.


A proposta, que foi apresentada em outubro, vai ser discutida no Parlamento depois das eleições de abril. in visão 10.04.2014



publicado por Linha de Urol. às 16:12
link do post | adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 2 de Dezembro de 2013
Site na Índia promove casamentos entre pessoas com HIV

Quando Nisha viu a seringa sendo preenchida com seu sangue, mal imaginava ela que a agulha em sua veia também estava sugando sua esperança e dignidade.

 

Grávida, ela estava em um hospital em Parbhani, no Estado de Maharashtra, no oeste da Índia, fazendo um teste de rotina. Mas seu mundo desabou quando descobriu que era soropositiva.

 

Os resultados do teste confirmaram sua suspeita de que fora seu marido quem havia lhe transmitido o vírus. Mas foi ela quem acabou sendo culpada na sua família, e Nisha foi expulsa da própria casa. Seu maior temor acabou se tornando realidade quando o filho nasceu: ele também era soropositivo.

 

Depois do divórcio, Nisha conta que perdeu a vontade de viver.

"Eu queria matar meu filho e a mim mesma", disse ela. "Eu queria casar de novo, mas não sabia como encontrar um parceiro soropositivo."

Depois de alguns anos de muito sofrimento, ela ficou sabendo do PositiveSaathi.com, um site na internet para pessoas soropositivas que querem se casar. Saathi é a palavra no idioma hindi para "parceiro" ou "amigo".

 

Hoje, aos 42 anos, Nisha tem uma vida tranquila, depois de encontrar um novo marido, também soropositivo, que dá apoio a ela e ao filho de 11 anos.

"O site veio como um raio de esperança no meu momento mais escuro", diz Nisha.

Este sentimento é compartilhado por mais de 5 mil pessoas com HIV positivo que estão registradas no site.

Rejeição pela família

Anil Valiv, um servidor público de 43 anos, está por trás da iniciativa. Ele fundou o PositiveSaathi.com em 2006.

Apesar de seu trabalho desgastante no departamento de Transportes do Estado, ele encontra tempo na sua vida para ajudar pessoas que sofrem com as consequências do HIV.

Ele começou seu ativismo promovendo exames de HIV entre motoristas de caminhão - um grupo de alto risco na Índia. Foi assim que ficou sabendo de um homem que queria muito se casar, mas que se sentia impedido por conta do vírus.

 

"Essa pessoa contou ao médico que, caso não achasse uma pessoa com HIV em breve, ele se casaria com uma mulher saudável sem revelar seu status de HIV. O médico teve um dilema. Isso me fez perceber o quão difícil é para as pessoas nesta condição de acharem parceiros."

Valiv também acompanhou de perto o caso de um amigo que contraiu o vírus nos anos 1990.

 

"Ele foi rejeitado pela própria família. Eu não consigo me esquecer do seu olhar esperançoso de achar uma família e ter filhos. O estigma da infecção é tão grande que quando ele morreu, em 2006, seu pai se recusou a acender a pira no funeral, que estava praticamente vazio."

Vavil diz que as pessoas com HIV são tratadas de forma desumana, e que quando elas não recebem ajuda ou apoio podem acabar espalhando a doença, desesperadas para preencher necessidades físicas e emocionais.

Quase dois terços das pessoas registradas no site são de áreas rurais. Esse número é surpreendente, considerando-se que o acesso à internet nestas zonas é difícil.

 

Do próprio bolso

Algumas dezenas de pessoas têm conseguido casar devido não só ao site mas também a encontros promovidos por Vavil.

Ramesh Dhongde, um motorista de riquixá de 43 anos na cidade de Pune, é uma das centenas de pessoas que participou de um destes encontros.

 

Há 11 anos, quando descobriu que havia contraído o vírus de sua esposa, já falecida, ele pensou que sua vida também havia chegado a um fim.

Mas há dois anos, em um dos encontros promovidos por Valiv, ele conheceu sua esposa atual, uma mulher divorciada de 33 anos que trabalhava em uma cooperativa.

 

"Voltar a ter uma vida normal de casado restaurou minha confiança na luta contra a doença", diz ele.

Para divulgar os encontros, Valiv usou dinheiro do próprio bolso para imprimir e colar cartazes em lugares públicos.

"No primeiro encontro, em um hospital em Solapur, eu esperava umas 300 pessoas e preparei café da manhã e almoço para tudo isso. Mas só umas 40 pessoas vieram, e a comida precisou ser doada para os pacientes mais pobres do hospital."

 

O número de interessados cresceu quando ele começou a colaborar com organizações não-governamentais.

Ao perceber que o número de homens era muito maior do que o de mulheres, ele começou a pagar os custos de viagem para encorajar a participação feminina. Valiv já gastou dezenas de milhares de rúpias de seu próprio dinheiro, mas diz que o esforço compensou, já que o número de mulheres dobrou.

 

Ele conta que os encontros não fluem facilmente, já que muitos sentem muita culpa em relação à doença. Outro desafio é conciliar as castas e alguns costumes locais.

 

Mulheres com filhos de outros casamentos, por exemplo, costumam ser as mais rejeitadas, especialmente se a filha é mulher.

"Meu papel é o de facilitador", diz Valiv. "As pessoas se conectam através do site e de encontros matrimoniais, e depois interagem diretamente."

Por isso, é difícil precisar o número de casamentos que ele ajudou a arranjar. Ele acredita, baseado nas mensagens de agradecimento que recebeu, que algo entre 200 e 400 casamentos foram formados com ajuda do site, alguns deles envolvendo indianos que moram em Cingapura, Grã-Bretanha e Alemanha.

 

Em 2010, 22 pessoas que usaram o site fizeram um casamento coletivo em Pune.

Valiv conta que mais de 20 casais que ele ajudou a formar geraram filhos sem HIV. Agora ele trabalha para montar um site que agregue doações para ONGs que apoiam órfãos soropositivos.

fonte: saude.terra.com.br 01.12.2013



publicado por Linha de Urol. às 10:53
link do post | adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 24 de Junho de 2013
...



publicado por Linha de Urol. às 12:15
link do post | adicionar aos favoritos

Terça-feira, 12 de Março de 2013
CONSULTA de SEXOLOGIA em CASTELO BRANCO

logo

A partir do dia 16 de Março é possível efetuar marcações de consulta de Sexologia em Castelo Branco, com a Dra. Vera Ribeiro


MORADA: Quinta da Milhã - Estrada do Salgueiro, Castelo Branco


Contacto para marcação:

272 348 860


http://www.euromedic.pt

 

(Informe-se sobre convenções de seguros para a consulta, na Clínica).

Consultas aos sábados no período da manhã!



publicado por Linha de Urol. às 11:05
link do post | adicionar aos favoritos

Consultórios
DR MANUEL MENDES SILVA:
Urologia
Avenida da Liberdade nº 202, 1º.
Contacto: 21 3524276

Dr. Manuel Mendes Silva
Médico Urologista Fellow do European Board of Urology. Ex-Presidente da Associação Portuguesa de Urologia e do Colégio de Urologia da Ordem dos Médicos. Ex-Vice Presidente da Sociedade Portuguesa de Andrologia. Director da Oficina de Ética da Conderação Americana de Urologia.
CONSULTA de SEXOLOGIA em CASTELO BRANCO
Marcações de consulta de Sexologia em Castelo Branco, com a Dra. Vera Ribeiro
MORADA: Quinta da Milhã - Estrada do Salgueiro, Castelo Branco
Contacto para marcação: 272 348 860
http://www.euromedic.pt (Informe-se sobre convenções de seguros para a consulta, na Clínica). Consultas aos sábados no período da manhã!
Envie a sua questão
As respostas às suas dúvidas atendem a diversos critérios. Neste serviço, não serão consideradas válidas questões com falta de enquadramento ou situações de emergência que só possam ter encaminhamento imediato.

E-mail: CLIQUE AQUI PARA ENVIAR
Outras Ligações
Pesquisar
 
Caracterização dos Leitores da Linha de Sexologia
Métodos Contraceptivos utilizados pelos leitores da linha de Sexologia:

Total de 426 Votos
Votação realizada de 22/02/2008 a 27/03/2008

Pílula - 213 (50%)
Preserv. Masc. - 107 (25.12%)
Coito Interrom. - 35 (8.22%)
DIU - 25 (5.87%)
Anel Vaginal - 18 (4.23%)
Abstinência - 13 (3.05%)
Implante - 5 (1.17%)
Contrac. Cirúrg. - 4 (0.94%)
Contrac. Emerg. - 2 (0.47%)
Espermicida - 2 (0.47%)
Injectável - 1 (0.23%)
Preserv. Femi. - 1 (0.23%)

Das seguintes expressões, a que melhor me descreve é:

Total de 146 Votos
Votação realizada de 27/03/2008 a 12/05/2008

Lésbica - 3 (2.05%)
Gay - 4 (2.74%)
Homossexual - 4 (2.74%)
Heterossexual - 115 (78.77%)
Bisexual - 13 (8.90%)
Nenh. desc. - 2 (1.37%)
ident. sex. oscila - 5 (3.42%)

Arquivos

Abril 2014

Dezembro 2013

Junho 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Subscrever feeds